Na busca por uma melhor gestão dos recursos da empresa, a identificação e a compra — ou mesmo locação — de um imóvel são operações que demandam bastante estudo de viabilidade e também uma atenta avaliação de oportunidades.

Para que seja possível otimizar custos e processos, uma questão que não pode ficar de fora é a definição do tamanho de imóvel. Uma vez que ela influencia no resultado da logística e no nível de produtividade, merece bastante atenção.

Com o intuito de melhorar a tomada de decisão a respeito desse assunto, neste post separamos 7 dicas para que você acerte na hora de escolher o tamanho ideal do seu imóvel comercial. Confira!

1. Identificar as reais necessidades do negócio

A primeira providência a ser tomada é o levantamento dos requisitos mínimos do imóvel. Ao fazer uma busca no mercado sem ter uma noção do que é essencial, você pode acabar perdendo tempo com opções interessantes, mas que não serão viáveis.

Neste momento, a operação da empresa precisa ser levada em conta. Desde uma sala comercial para prestadores de serviços que somente precisem de um mínimo de infraestrutura até um galpão de grande porte, é necessário listar pontualmente os aspectos mínimos a serem buscados.

Mesmo que não seja possível, inicialmente, conseguir identificar todos os requisitos básicos, algumas informações que limitem as opções de imóveis já devem ser listadas. Desta maneira, uma área mínima disponível e um raio de localização já devem ser pensados.

2. Avaliar o entorno do imóvel

Por mais que você possa estar procurando uma área para o desenvolvimento de uma atividade de estocagem e que nenhum cliente precise estar fisicamente próximo da empresa, é válido considerar a estrutura ao redor do imóvel.

Para pequenos negócios, normalmente é bom que haja outras empresas por perto para facilitar o networking e a captação de público. No caso de empresas de maior porte, a região em que ela pretende se instalar precisa oferecer um nível de segurança adequado para evitar invasões e roubos.

Além disso, também é preciso estudar as operações das empresas ao redor do imóvel. Não é uma boa ideia, por exemplo, instalar uma fábrica de papelão muito próxima a outra que tenha riscos consideráveis de incêndio. Caso você opte por um imóvel em uma região mais delicada, uma área de terreno que garanta um bom afastamento dos limites é algo a ser ponderado.

3. Considerar o nível de segurança

Seguindo a linha do item anterior, a segurança, como um todo, deve ser analisada. É preciso saber se o imóvel consegue oferecer a infraestrutura adequada para que o estoque de produtos seja mantido sem custos adicionais. A mesma consideração também se aplica às máquinas e aos equipamentos de alto valor e/ou que exigem um tratamento mais especializado.

É necessário que exista uma previsão de onde os equipamentos para processamento de informações e comunicações serão colocados. Servidores e outras máquinas do tipo devem estar em ambientes que consigam garantir a sua integridade.

A circulação de pessoas também precisa ser avaliada de maneira a evitar uma distribuição da empresa que acabe gerando espaços apertados e que dificultem a locomoção. Tudo isso sem contar com a necessidade de atender às normas de segurança cabíveis, como as saídas de emergência e os planos contra incêndio.

4. Definir a altura do pé direito

No caso de escritórios, a não ser que o proprietário esteja pensando em uma arquitetura um pouco mais alternativa, a variação do pé direito não costuma mudar tanto. Por outro lado, para empresas de médio e grande porte que necessitem de um galpão, por exemplo, esse é um aspecto que deve ser analisado com muito cuidado, pois ele afeta diretamente no tamanho do imóvel.

Ao considerar aspectos como uma boa circulação de ar, temperatura interna e isolamento acústico, a altura das instalações faz toda a diferença. Ela ainda deve ser avaliada quanto ao porte do maquinário necessário e também a forma de estocagem, já que o aproveitamento do espaço considera soluções de verticalização.

5. Verificar a resistência do piso

Embora tanto os escritórios quanto as instalações industriais possam considerar a utilização de pisos elevados, é no caso do trânsito de materiais e cargas densas que é preciso focar um pouco mais na resistência. Caso exista sobrepeso de equipamentos, é mais seguro conseguir distribuir este peso e isso vai exigir um pouco mais de metragem do imóvel.

Dependendo do caso, pode ser que para aproveitar um imóvel com uma localização mais vantajosa ou uma infraestrutura adequadamente montada para o tipo do negócio que você procura instalar, valha a pena um investimento no reforço da construção, de maneira que não seja necessário optar por uma planta de maiores dimensões.

Contudo, todo tipo de investimento, ainda mais em imóveis alugados, precisa ter a viabilidade dos seus impactos financeiros estudados de forma adequada.

6. Determinar a área de estacionamento e manobra

De acordo com o tipo de negócio, a empresa pode ter um fluxo grande de clientes que necessitam de estacionamento e, se o imóvel não tiver essa área, talvez seja necessário fazer parcerias no entorno. Para as indústrias, a situação é um pouco mais delicada, já que cargas e descargas não podem ser feitas muito longe da base de operações.

Em ambos os casos, também é primordial avaliar a área mínima para realizar as manobras de veículos e cargas, pois interromper o fluxo de pessoas e materiais pode diminuir consideravelmente a produtividade do negócio.

7. Ponderar movimentos de expansão

Todo negócio é feito para que seja possível estabelecer uma base bem estruturada, mas também que tenha condições de crescer. Sendo assim, ao avaliar o imóvel para a instalação de um escritório ou uma planta de grande porte, é importante entender o quanto é possível utilizar o espaço disponível.

A relação a ser considerada é quanto a mais de área vale a pena ser adquirida ou alugada no início da operação e até onde será possível utilizar o imóvel em futuras expansões.

Ao avaliar com calma todos os itens desse post, a definição do tamanho de imóvel — além de sua localização e infraestrutura já montada — será algo mais fácil e assertivo para você realizar.

Para ter acesso a mais dicas sobre o assunto e também ficar por dentro de outros conteúdos relacionados à gestão de negócios e boas práticas de mercado, curta nossa página no Facebook. Assim você estará sempre atualizado e bem informado.