Quais as tendências em logística para ecommerce?

6 minutos para ler

Movimentando mais de 53 milhões de reais em 2018 e com crescimento de 12% comparado ao ano anterior, o segmento de e-commerce está cada vez mais atrativo para os empreendedores do mercado.

Para competir nesse cenário e manter um negócio lucrativo, é importante estar sempre atento às novidades relacionadas à logística para e-commerce e adotar aquelas que otimizam sua operação.

Pensando nisso, apresentaremos as principais tendências em logística para o e-commerce, mostrando como elas podem beneficiar o seu negócio. Continue a leitura e confira!

Entrega via drones

Já usados para a movimentação de itens pequenos, como documentos, os drones para entregas são importantes tendências do mercado, inclusive para o e-commerce. Isso porque a prática apresenta baixo custo e realiza operações em menor tempo que um entregador usando carro ou moto.

No Brasil, empresas de entregas via drones estão realizando parcerias com negócios do segmento de delivery de alimentos, como IFood e UberEats, para expandir o uso da prática no mercado.

Pickup store

Outra tendência para e-commerce é o investimento em pickup stores, ou seja, ambientes direcionados para a retirada de pedidos realizados de forma online. Quando o negócio apresenta lojas físicas, parte do espaço é direcionado para isso  a rede Walmart é conhecida pela prática.

Os benefícios de oferecer uma ou mais pickup stores permite que o consumidor não precise pagar frete. Para o negócio, é possível manter o local sem custos de estoque, uma vez que os pedidos são armazenados por um curto período.

Soluções Last Mile

Uma das principais preocupações relacionadas à logística de produtos é o alto custo da etapa final — chamada last mile — de uma entrega. Esse trecho tende a ser mais caro porque acontece dentro dos centros urbanos, locais em que a circulação de carga é restrita e o valor de galpões elevado.

Para lidar com esse problema, as empresas de varejo, inclusive o digital, estão investindo em soluções last mile. São alternativas de entregas que minimizam o custo de movimentação de itens dentro dos grandes centros. Entre elas, se destacam:

  • lockers: uso de ambientes físicos com armários onde o consumidor pode retirar pedidos realizados online ou fazer sua devolução. O acesso é feito com o uso de um código recebido de forma digital;
  • cargo bikes: entregadores com bicicletas que levam o pedido até o cliente. A prática é menos custosa e mais rápida que o processo feito com rede de distribuidoras;
  • crowd shipping: sistema em que pessoas físicas usam seu próprio veículo de transporte para realizar entregas para diferentes empresas. Normalmente, o serviço é conectado a uma plataforma digital ou marketplace e oferece menor custo para o negócio.

Essas são algumas das práticas que são tendência em logístico no mercado brasileiro. Muitas delas já são populares nos EUA e na Europa por seu baixo custo e eficiência. Assim, seu sucesso incentiva o investimento nacional.

Uma prática que tem ganhado espaço no mercado é a locação de galpões logísticos próximos aos grandes centros. Assim, os pedidos podem ser armazenados nesses ambientes e liberados para entregas por meio das estratégias apresentadas.

Tecnologia BlockChain

Uma das característica da logística 4.0 é o uso de novas tecnologias no processo de gestão de toda a cadeia logística  recebimento de pedidos, separação de itens, armazenamentos, entregas e devoluções. Para isso, muitas empresas estão investindo no blockchain.

Caracterizada como uma tecnologia que integra e automatiza a troca de informações e dados de forma segura, seu uso é visto como uma medida para eliminar procedimentos manuais, emissão de documentos e erros de comunicação durante os diferentes processos da logística.

Rastreamento de radiofrequência

Já usado por algumas empresas no mercado, o rastreamento de produtos por radiofrequência é uma grande tendência em logística para e-commerce. O sistema aumenta a eficiência do monitoramento e da atualização das previsões de entregas.

Isso acontece porque o sistema via radiofrequência não sofre interferências durante a passagem por locais fechados, como túneis. Assim, o monitoramento não é interrompido ou comprometido.

Uso de equipamentos robóticos

Outra prática característica da logística 4.0 é a adoção de equipamentos robóticos que usam inteligência artificial (IA) e internet das coisas (IoT) para operar. Uma operação robotizada aumenta a eficiência, reduz o custo com pessoal e minimiza perdas, além de aumentar a coleta de dados para o negócio.

Para adotar esse modelo, é importante buscar galpões especializados para a prática logística, ou seja, ambientes com boa infraestrutura e que permitam a implementação de sistemas inteligentes para o manuseio e a movimentação de itens.

Alguns exemplos de equipamentos já usados de forma robotizada são as empilhadeiras e as esteiras, que armazenam os itens de forma organizada e padronizada. Elas também podem direcionar itens conforme os pedidos realizados, facilitando o trabalho do preparo para as entregas.

Logística compartilhada

Apesar de não ser muito comum no Brasil, a logística compartilhada é uma importante tendência para o e-commerce. Esse modelo funciona pela união de empresas que apresentam interesses em comum para compartilhar sistemas e serviços, reduzindo o custo para todos os envolvidos.

Normalmente, ela é usada por pequenos negócios que não aproveitam todo o potencial de um armazém ou galpão logístico, bem como os espaços disponíveis dentro de um veículo de entrega. Assim, os ambientes podem ser compartilhados com outras empresas.

Sustentabilidade

A sustentabilidade ainda é uma tendência importante para todos os segmentos do mercado. Para o e-commerce, é importante se atentar às práticas ecologicamente corretas na operação dentro de seus galpões de armazenamento e distribuição, bem como no transporte de itens.

Algumas ações que podem ser adotadas são:

  • logística reversa;
  • logística compartilhada;
  • embalagens sustentáveis;
  • iluminação natural por meio de janelas e claraboias;
  • energia solar;
  • captação e reutilização de água.

Essas são algumas das principais tendências em logística para e-commerce que as empresas do segmento precisam conhecer para não perder eficiência no mercado. O ideal é acompanhar as novidades e escolher aquelas que fazem mais sentido para o seu negócio.

Além disso, é importante manter uma operação bem estruturada de toda a gestão logística e do estoque da empresa, bem como bons parceiros e funcionários. Assim, o negócio evita erros, gaps e prejuízos que comprometem sua lucratividade.

Agora que você conhece as principais tendências em logística para e-commerce, confira um guia completo de logística e gestão eficiente de estoque para garantir melhores resultados ao seu negócio!

Posts relacionados

Deixe um comentário

Receba nossos conteúdos em primeira mão