Por que a segurança patrimonial na indústria é importante?

3 minutos para ler

A segurança patrimonial na indústria é uma questão estratégica que deve ser avaliada sempre com muita atenção. Riscos ao patrimônio e recursos humanos de uma organização podem impedir ou atrapalhar o bom andamento do negócio.

Uma empresa protegida precisa estar preparada para diversos tipos de ameaças diferentes: de furtos e incêndios até greves e espionagem. Para diminuir os riscos, é importante investir em prevenção ativa, inibição e treinamentos específicos. 

Neste post, você conhece algumas medidas que deve tomar para proteção da sua organização. Acompanhe!

Mapeando os riscos ao patrimônio

O patrimônio não se restringe aos bens materiais de uma empresa: informações e recursos humanos também são abrangidos.

Para entender melhor quais são os riscos ao negócio que podem ser mitigados pela segurança patrimonial, é preciso listar tudo que pode causar prejuízos e atrapalhar as atividades normais da organização.

Incêndios, explosões e alagamentos são incidentes que podem causar prejuízos à indústria e devem ser sempre listados em um mapa de riscos. É bom estar atento aos materiais das instalações da organização.

Dependendo do tipo de risco, equipamentos e profissionais especializados podem ser necessários: uma empresa com muitos dados sensíveis armazenados em computadores pode, por exemplo, adquirir um sistema de proteção elétrica para mitigar riscos com raios.

Outro tipo de risco comum são aqueles relacionados a atividades criminosas, como assaltos, furtos e sabotagens. Para lidar, é preciso trabalhar com prevenção, vigilância e inibição. 

Agentes especializados na portaria podem aumentar a segurança; itens de proteção perimetral como cercas elétricas e concertinas, por exemplo, inibem criminosos.

Para combater riscos como greves ou espionagem industrial, é preciso investir em segurança estratégica, também chamada de inteligência. Com investigações, análises de risco e pesquisas, é possível evitar ao máximo esses atos — ou pelo menos saber responder da melhor forma quando eles acontecerem.

Segurança patrimonial na indústria: orgânica ou terceirizada?

Quando a segurança patrimonial é feita por agentes que são contratados diretos, ela é chamada de segurança orgânica. Quando esse setor fica nas mãos de uma outra empresa, especializada em segurança e autorizada a explorar esse mercado, o nome dado é de segurança privada ou terceirizada.

Para escolher entre uma das duas opções, é preciso avaliar os riscos aos quais a empresa é submetida — além do porte e da cultura organizacional.

Indústrias que estejam vulneráveis a muitos riscos físicos, como incêndios ou roubos, devem considerar terceirizar esse serviço com uma empresa de segurança privada.

Já em negócios em que a segurança de informações é fundamental para a competitividade, também pode valer a pena investir em um parceiro externo para combater a espionagem com mais eficiência.

Para empresas que tenham riscos mais simples, pode valer a pena investir em um setor de segurança orgânico — claro, desde que financeiramente seja viável.

O importante é fazer uma avaliação correta dos riscos e sempre pensa na segurança patrimonial como uma forma de se prevenir e evitar prejuízos maiores.

Agora que você descobriu mais sobre a importância da segurança patrimonial na indústria, que tal compartilhar este artigo com seus colegas nas suas redes sociais?

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Share This