fbpx

Planejamento de rotas: confira 6 dicas para fazê-lo

7 minutos para ler

Se você trabalha com entregas ou transporte logístico, sabe que um bom planejamento de rotas é essencial para ter os melhores resultados do negócio, reduzindo custos e fazendo o melhor aproveitamento da frota.

Diversos fatores devem ser considerados ao realizar esse procedimento. Entre eles, um bom mapeamento de operação, o uso de ferramentas de monitoramento que ajudam a realizar otimizações constantes na execução do trabalho e, também, a possibilidade de investir em tecnologias que tornam todas as tarefas mais simples.

Se o planejamento de rotas é benfeito, a logística é melhorada e os ganhos são enormes, como a economia em custos com combustível e manutenção de veículos, aumento da capacidade de entrega e maior satisfação dos consumidores. Além disso, a área ganha um papel mais estratégico na organização, sendo valorizada.

Pensando nisso, levantamos seis dicas para otimizar o planejamento de rotas e garantir os melhores resultados para a sua empresa. Confira!

1. Escolha uma localização estratégica

Antes de mais nada, é fundamental que a escolha da localização de seu centro de distribuição seja feita de forma estratégica. O planejamento de rotas deve ser iniciado no momento dessa decisão, uma vez que um estabelecimento com má localização pode resultar em altos custos de distribuição. Já a escolha correta pode otimizar todo o processo e aumentar os resultados do negócio. 

Por isso, é essencial fazer uma busca correta ao procurar um local que tenha importância na distribuição logística da empresa, como galpões, centros de distribuição e até mesmo a sua sede administrativa. Procure um que tenha fácil acesso à área de entrega com mais importância para o local.

Uma dica é procurar empresas especializadas no assunto, como imobiliárias com foco em aluguel, venda ou construção de imóveis para fins comerciais. Além de ter uma rede exclusiva de locais, elas detêm conhecimentos que ajudam a não cometer nenhum erro nessa decisão, escolhendo opções que fazem sentido para o planejamento de rotas.

2. Faça o mapeamento da operação

O segundo passo é ter um mapeamento da operação da frota, ou seja, todas as regiões e locais atendidos, principais vias, rotas mais usadas, centros de distribuição e carros disponíveis. Com essas informações, é mais fácil planejar as entregas. 

O ideal é usar dados das operações passadas para compreender quais regiões têm mais demanda. Dessa forma, é possível prever o uso dos carros de forma mais exata e distribuir as entregas conforme a necessidade. 

Além disso, esses dados permitem avaliar a necessidade de expandir a operação, bem como saber se há muitos veículos não sendo usados, apenas gerando custos para a organização.

Os dados históricos também podem indicar a necessidade de mudanças na estrutura da empresa, como a possibilidade de ter um parceiro de distribuição para momentos de pico de entregas, como épocas promocionais, e a manutenção de uma equipe menor, porém focada em entregas contínuas.

3. Use o rastreamento de veículos

Rastrear os veículos permite acompanhar de perto a execução do planejamento, identificando quando há problemas, como um acidente ou falhas no carro, possibilitando que o cliente seja notificado e algo seja feito, como o envio de um novo veículo ao local. 

Além disso, é possível usar as informações do rastreamento para avaliar se a realidade está dentro do planejado, ajustando possíveis diferenças, como tempo médio de entrega, rotas mais velozes e capacidade de entrega dos veículos. 

Outro ganho usando ferramentas de rastreamento em seus veículos é a proteção contra roubos e furtos dos carros de entrega. Dessa forma, em situações como essa, é possível acionar a polícia e recuperar o seu patrimônio.

4. Leve os imprevistos em consideração

Um erro comum ao fazer o planejamento de rotas é acreditar que tudo acontecerá como previsto e não se preparar para lidar com momentos de falha. É preciso considerar que os acidentes podem acontecer, como problemas com os veículos, erros na entrega e congestionamentos.

Para lidar com essas situações, é necessário ter um plano de ação, com procedimentos claros do que deve ser feito para diminuir os danos causados. Um exemplo disso é o uso de um software que  possibilita a notificação de atraso para o cliente, de forma automática, reduzindo a insatisfação dele. 

Faça um levantamento dos possíveis problemas que podem impactar o planejamento de rotas e entregas, e defina planos de contingência para lidar com essas situações. Outra prática é pensar em ações preventivas, impedindo que os problemas ocorram, como a dupla validação do pedido separado e a confirmação da rota, usando um aplicativo de previsão de tempo da rota.

5. Mantenha o monitoramento da operação

Manter o monitoramento da operação de forma constante é fundamental para ter um bom planejamento de rotas. Acompanhar os processos definidos permite que as ações sejam realizadas de forma mais rápida, reduzindo possíveis custos. 

Além disso, é possível integrar o sistema de logística com o atendimento ao consumidor, notificando sobre onde o produto está, quando ele entra em rota e a previsão de entrega. Dessa forma, os consumidores têm mais segurança e atenção sobre seus pedidos, e, consequentemente, ficam mais satisfeitos.

Essa prática, apesar de parecer cansativa, é fundamental para que as tomadas de decisão importantes sejam feitas o quanto antes. No caso de furtos e roubos dos veículos, isso é fundamental, uma vez que, se o carro for levado para uma oficina de desmonte, o rastreador pode ser identificado e despachado, facilitando que o veículo e a sua mercadoria sejam recuperados. 

6. Considere o uso de um software de gestão

A tecnologia é conhecida por melhorar os processos em diferentes frentes do negócio, o que não é diferente na área logística. Existem softwares de gestão especializados em otimização de rotas, monitoramento e controle de toda a operação. 

Essas soluções ajudam a identificar as melhores rotas, usar com mais eficiência os recursos da empresa e manter a otimização constante do planejamento, fazendo ajustes em tempo real.

Além disso, as melhores soluções oferecem outras funcionalidades que auxiliam o próprio motorista, como um canal de comunicação direto com o centro de distribuição, mapa da rota definida e possibilidade de avisar quando surgem problemas. Dessa forma, além de melhorar o planejamento, a empresa também melhora a qualidade de vida do colaborador e a sua produtividade.

7. Faça uso de indicadores de desempenho

Por fim, use indicadores de desempenho (KPIs) para avaliar a eficiência do planejamento de rotas realizado. Ter metas de resultados ajuda na avaliação da operação e também na identificação de pontos de melhoria, uma vez que existem itens prioritários que devem receber atenção.

Além disso, essas informações facilitam a produção de relatórios de resultado, tanto para uso interno como para serem enviados para outras áreas do negócio, facilitando o entendimento do que a gestão de frotas e logística realiza.

Use estas dicas para fazer um bom planejamento de rotas na sua empresa. Lembre-se de que é fundamental monitorar e usar dados para otimizar toda a operação, bem como ter planos de ação para lidar com imprevistos e problemas que prejudicam a operação, e que essas tarefas são mais fáceis com o uso da tecnologia.

Agora queremos saber mais sobre a sua empresa! Como você realiza o planejamento de rotas do seu negócio? Comente aqui se você acha que estas dicas vão ajudar a melhorar os resultados!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Share This