fbpx

O que é sales leaseback?

6 minutos para ler

Muitas empresas, quando crescem, necessitam de capital para investir e otimizar suas operações. Entre as diversas formas de elevar os recursos estão os empréstimos feitos por meio de instituições financeiras, a abertura de capital em que parte do negócio é cedido para acionistas e o sales leaseback (SLB), opção que tem chamado a atenção de muitas organizações. 

Nesse modelo, a empresa não precisa abrir mão de parte do seu negócio, tampouco lidar com instituições financeiras e seus processos burocráticos e, muitas vezes, altamente custosos. O SLB é uma forma de aumentar o capital financeiro da organização por meio da venda de parte de seus ativos e, diferentemente das transações tradicionais desse tipo, a empresa mantém o uso desses ativos.

Essa prática tem se tornado muito comum no mercado imobiliário, sendo uma das melhores opções para empresas que necessitam de capital para o crescimento e desenvolvimento de seu negócio, mas não querem optar pelos meios mais convencionais.

Pensando nisso, colocamos abaixo as principais informações sobre o sales leaseback e como essa prática pode ser uma opção interessante para o seu negócio. Leia até o final para conferir!

O que é sales leaseback?

O sales leaseback, ou contrato de venda e arrendamento, pode ser entendido como uma transação financeira em que um investidor realiza a compra de um ativo e o aluga de volta para seu vendedor. Dessa forma, o dono anterior continua a usar o ativo, mesmo sem possuí-lo.

Normalmente, esse tipo de transação é feito sobre ativos fixos, como imóveis de qualquer porte ou localidade. Outros bens duráveis também podem ser comercializados dessa forma, como aviões, maquinários de grande porte e trens.

Esse tipo de acordo é realizado com o intuito de gerar benefícios financeiros, contábeis ou fiscais para as partes. Normalmente, para o vendedor, a transação representa ganho de capital para outros investimentos, enquanto para o comprador, uma fonte confiável de renda por um longo período de tempo.

Como o processo funciona?

O processo de sales leaseback depende do tipo de ativo que será vendido, bem como das empresas ou investidores interessados no mesmo. O ideal é que o vendedor realize a transação por meio de um parceiro especializado, que será responsável por:

  • fazer um levantamento do valor de mercado do ativo;
  • identificar potenciais compradores;
  • intermediar a negociação;
  • dar suporte em todo o processo para que o resultado seja o melhor possível.

Existem diversas empresas especializadas em leaseback e com seu suporte o vendedor tem mais garantias de um contrato de qualidade. Dito isso, um processo comum de SLB ocorre da seguinte forma:

  1. o investidor ou parte interessada aporta ativo sobre o ativo de uma empresa com propósito específico;
  2. a parte interessada adquire o ativo por meio de sua empresa. Nesse momento, podem ser feitas modificações e melhorias no ativo antes de sua locação para o antigo proprietário;
  3. um contrato de locação de longo prazo é formalizado entre as partes.

Normalmente, o valor do aluguel é uma taxa sobre seu valor de mercado. Além disso, o SLB somente é viável ou interessante para o vendedor quando esse percentual é menor que as taxas de juros de empréstimos com a mesma equivalência sobre a operação.

Como o leasing é classificado?

Primeiro, é necessário entender que o leasing é diferente de uma locação comum. Numa operação tradicional de aluguel não há o processo de compra do ativo e nem a opção de que ele seja adquirido ao final do contrato, como acontece numa transação de leasing.

Dessa forma, ao final do contrato, o vendedor tem a opção de renovar o contrato estabelecido, comprar o ativo de volta ou devolvê-lo a seu atual dono. Em acordos em que a parte vendedora tem interesse em recuperar o ativo, pode-se definir um pagamento mensal, que será somado para reduzir o montante final à ser pago pelo ativo — essa prática é chamada de leasing financeiro.

Outra modalidade é o leasing operacional. Nesta, apenas o pagamento das mensalidades acontece. Apesar de ser menor, o locatário normalmente fica responsável pelos custos de manutenção do ativo durante o período de contrato e, caso queira fazer sua aquisição ao final, o valor tende a ser muito alto.​

Quais os benefícios dessa prática?

O sales leaseback garante diversos benefícios para empresas que desejam realizá-lo em seus ativos, entre eles, estão:​

  • liberação de capital: a operação garante capital para o caixa da organização, permitindo que esse valor seja investido em seu core business;
  • substituição de ativos: um ativo imobilizado passa a se tornar circulante, melhorando a liquidez e reduzindo o risco financeiro do negócio;
  • captura de valorização do ativo: principalmente em transações imobiliárias, o valor de valorização desses ativos de anos anteriores é capturado pela organização na transação SLB;
  • redução de carga tributária: para empresas em regime tributário de Lucro Real, ao trocar as despesas de depreciação por aluguel, as cobranças tendem a serem menores.

Quais os tipos de locação mais comuns do mercado?

Além do sales leaseback, existem mais duas opções de locações para as empresas que buscam essa alternativa: o Built-to-Suit (BTS) e o Buy and Lease. 

Built-to-Suit (BTS)

O termo Built-to-Suit pode ser traduzido para o português como “Construção Sob Medida”. Dessa forma, esse tipo de operação se refere à prática de alugar um local que será construído ou reformado sob medida para suas operações. O processo é feito por meio de um contrato que estabelece uma “encomenda” por parte do locatário, definindo todas as especificações acordadas entre as partes.

Buy and Lease

Esse modelo funciona de forma semelhante ao anterior, entretanto, não há um acordo estabelecido para construir ou reformar um ativo imobiliário, apenas para encontrar um local que sana todas as necessidades do cliente.

Dessa forma, assim como na opção BTS, organizações que desejam se expandir podem encontrar a melhor opção e não ter que investir seu próprio capital para realizar a aquisição.

Depois de todas essas informações, fica evidente que tanto a prática de sales leaseback, como outras formas de locação, representam boas estratégias para empresas que desejam eliminar capital parado e aproveitar todos os benefícios que elas oferecem.

Vale lembrar que, independente do modelo escolhido pelo negócio, é fundamental avaliar as necessidades do empreendimento, bem como as opções do mercado, antes de tomar uma decisão. Além disso, um contrato deve ser estabelecido firmando os acordos e as penalizações legais que aumentam a segurança da transação.

Gostou de saber mais sobre o sales leaseback e como essa prática é realizada? Acha que esse assunto pode interessar outras pessoas? Então compartilhe o artigo em suas redes sociais!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Share This

Receba nossos conteúdos em primeira mão