fbpx

Estruturas de armazenagem: o que são e quais os tipos?

13 minutos para ler

O aumento de faturamento de uma empresa depende de uma série de fatores. Entre eles podemos destacar um bom nível de produtividade, uma logística adequada ao tipo de negócio e também a otimização do seu espaço.

Para garantir que essas variáveis estejam ajustadas a favor da sua empresa, é necessário que você avalie se as decisões que anda tomando quanto às estruturas de armazenagem são as mais adequadas. Acompanhe o post que preparamos sobre o assunto!

Quais as diferenças entre estocagem e armazenagem?

O primeiro passo é entender que existem diferenças pontuais entre estocagem e armazenagem, já que é muito comum que os termos sejam confundidos e utilizados para identificar aspectos semelhantes.

Armazenagem é o conjunto de atividades de um ambiente destinado à guarda temporária e à distribuição de itens e materiais, como almoxarifados, depósitos etc.

Enquanto estocagem são as atividades destinadas ao fluxo de materiais entre o armazém e o ponto destinado à locação estática dos itens. No interior de um armazém, há um setor separado para armazenagem, mas que pode conter vários pontos de estocagem.

O que são estruturas de armazenagem?

Mais do que racional, o uso do espaço dentro de um galpão ou depósito precisa ser estratégico.

O tamanho dos itens a serem armazenados, a velocidade de giro e todas as outras particularidades do acondicionamento e manuseio desses volumes precisam ser considerados para que o correto layout seja adotado em sua empresa.

As estruturas de armazenagem são a base da forma como se adapta funcionalidade à sua organização interna. Todos são elementos básicos para a “paletização”.

Qual a importância da armazenagem e por que ela é necessária?

Durante um tempo, o conceito de ocupação física se focava especificamente mais em área do que no espaço e na altura destinados à armazenagem.

Entretanto, o mau aproveitamento do espaço fez com que muitos profissionais do setor começassem a buscar por formas de reduzir os custos logísticos e, consequentemente, os prejuízos com a movimentação de materiais de maneira inadequada.

Dado o contexto, a armazenagem tem um papel fundamental no aumento da lucratividade do negócio, pois a forma como os materiais devem ser embalados está diretamente ligada à redução de custos.

No decorrer deste conteúdo você verá que a armazenagem é um conjunto de atividades, metodologias e processos complexos, e é necessária para que toda a operação seja viável e atenda às exigências do mercado.

A disposição das partes como um todo devem ser coordenadas entre si, funcionando como uma estrutura organizada.

A integração de todas as estruturas de armazenagem, como os equipamentos de movimentação, softwares de controle, estruturas metálicas e outros componentes, deve ser perfeita para que satisfaça às necessidades de operação logística.

Quais são os tipos de estratégias de armazenagem?

setor logístico de armazenagem está em constante evolução e cada vez mais é preciso realizar um planejamento estratégico dessa área. A gestão de materiais envolve quatro modelos de estratégias que serão listadas a seguir. Acompanhe!

Estratégias de forma

As estratégias de forma atuam na busca do valor gerado decorrido da produção ao transformar as matérias-primas em mercadorias. Melhor dizendo, os sistemas de armazenagem são usados com o objetivo de estocar peças que se unem na criação de algum produto.

Estratégia de tempo

Esse tipo de estratégia está ligado à estratégia de posse (a qual será abordada posteriormente). Aqui, os estrategistas vão em busca de métodos para melhorar o tempo dos processos industriais.

Estratégia de lugar

Esse tipo de estratégia tem o objetivo de trabalhar os tipos de locomoção que envolvem os produtos ou peças de um lugar para o outro.

Estratégia de posse

Em relação às estratégias de posse, sua atuação envolve o valor agregado ao produto pelo tempo que se dedicou no decorrer da sua produção. Visando auxiliar os gestores, há softwares que contabilizam o tempo gasto em produção, transportes e estoque.

Quais são os tipos de estruturas de armazenagem?

São diversas as estruturas de armazenagem disponíveis e cada uma exerce a sua função dentro da logística. Por isso, o planejamento é fundamental e o sistema de armazenagem deve funcionar visando otimizar todo o processo dessa cadeia. Confira agora os tipos de estrutura!

Estrutura porta-paletes

Sendo uma das mais tradicionais formas de estrutura de armazenagem, esse modelo tem ramificações comuns de serem encontrados no mercado: corredores estreitos, transelevadores, autoportante e deslizante.

Em sua configuração mais tradicional, a estrutura de porta paletes é aquela em que todos os itens ficam armazenados em estantes que serão acessadas normalmente por meio de empilhadeiras.

O modelo permite o alcance a todos os volumes de maneira aleatória, o que significa que não precisa tirar nada da frente ou mover qualquer parte da estante.

Ela exige um pouco de espaço nos corredores para a manobra das empilhadeiras, evitando, assim, acidentes. Para melhorar a chance de economia, é possível aumentar a altura das prateleiras conseguindo armazenar mais itens.

Suas duas grandes vantagens são a agilidade de acesso a qualquer item e a seletividade. Podemos ainda subdividir essa categoria. Veja!

Corredores estreitos

Aqui é possível a otimização do espaço útil de armazenagem por conta da diminuição dos corredores de movimentação. No entanto, o valor para seu investimento é maior devido à função dos trilhos ou fios indutivos que são precisos para a movimentação das empilhadeiras.

Transelevadores

Também tem a função de melhorar o espaço útil, uma vez que seu corredor é menor que o da empilhadeira. Em se tratando de alturas superiores, é possível elevar a densidade da carga de forma rápida durante a movimentação. Além disso, torna-se viável aproveitar o espaço vertical, propiciando segurança no manuseio do palete.

Autoportante

Permite aproveitar o espaço vertical. O tempo de construção é menor e torna-se possível diminuir o valor de investimento, visto que a estrutura de armazenagem é usada como suporte de fechamento lateral e da cobertura. Isso possibilita uma maior distribuição de cargas no piso.

Deslizante

Destaca-se pela reduzida área voltada à circulação. Aqui o palete fica bem protegido, já que não se encontra em movimentação. A estrutura fica no aspecto de um blocado.

Ela é bastante usada em locais limitados para armazenagem de mercadorias de baixo giro e amplo valor agregado. Sua principal vantagem é a alta densidade.

Estrutura push back

No sistema de armazenagem push back, a armazenagem dos paletes é preparada por meio dos carrinhos colocados em trilhos ou roletes, ao passo que são empurrados pelos paletes e estocados em sequência nos módulos. É um modelo de sistema de armazenamento que possibilita estocar a quantidade de quatro paletes de profundidade em cada nível.

Esse sistema, nos dias de hoje, é bastante procurado, principalmente por conta de algumas empresas necessitarem de alta densidade de carga, fazendo com que tenha um maior número de endereços para os paletes armazenados.

De maneira simplificada, a estrutura do sistema de armazenagem push back é bastante parecida com o sistema drive-in, sendo montado por meio de longarinas e montantes. O modo como se movimenta a carga é o que nomeia o sistema, mostrando exatamente a sua atividade nos locais de armazenagem.

A formação do plano de carga para esse sistema apresenta dois tipos de materiais, que podem ser usados conforme as necessidades da empresa. O processo operacional, porém, não depende da espécie de material aplicada.

O sistema exerce a sua função da mesma forma: o primeiro palete colocado no local de armazenamento é empurrado pelo próximo colocado em seguida e, assim, ocorre com os seguintes até o último colocado no trilho. Ressalta-se que a quantidade normal para esse modelo de armazenamento é de quatro paletes.

O sistema de armazenagem push back demonstra, no entanto, uma limitação para a quantidade de paletes em profundidade. Isso por causa da complexidade dos trilhos e da força exigida da empilhadeira para empurrar os paletes que são armazenados.

Estrutura flow rack

O método de armazenagem flow rack é usado para armazenamento manual de caixas, normalmente de plástico, em conjunto com linhas de transportadores, servindo para mercadorias que são embaladas com destino posterior.

Nesse sistema, a montagem é realizada por pistas com rodízios plásticos inclinados, em que são colocadas as caixas em sequência, sendo remetidas por um lado e recebidas pelo outro.

A estrutura flow rack é muito dinâmica, ideal para a rotação de pequenos volumes, sendo o mais adequado para seleção e controle de estoques e itens fracionados.

A fim de facilitar o deslocamento das mercadorias armazenadas, esse sistema utiliza a ação da gravidade, o que permite a fácil reposição e manuseio dos produtos. Utiliza-se como estrutura de sustentação os módulos de porta paletes ou de estruturas em cantoneira.

A principal vantagem desse sistema é a organização dos produtos armazenados, tornando mais fácil sua localização e uso. Por meio do flow rack, o giro das mercadorias se torna automatizado, em um conceito simples e eficaz.

Estrutura drive-in

Esse modelo de estrutura de armazenagem tem uma grande capacidade de estoque. Isso porque ele busca atender principalmente a movimentação do tipo LIFO (last in, first out). Sendo assim, os itens vão se acumulando e só é necessário retirar o que estiver mais acessível.

Tudo isso faz com que se tenha uma maior densidade no galpão, economizando espaço de manobra e gerando um menor custo por metro quadrado, já que só é necessário haver um corredor frontal.

A contrapartida existe a dificuldade e demora de acesso a um item específico que tenha sido armazenado logo no início e acaba ficando isolado no fundo da prateleira.

Estrutura drive-through

Também com uma boa capacidade de armazenamento, o modelo de drive-through elimina a necessidade de espaço entre as prateleiras.

Contudo, como nesse modelo é utilizada a armazenagem do tipo FIFO (firs in, first out), o que entra primeiro precisa sair primeiro. Para que tudo funcione de maneira eficiente, tem-se um corredor para entrada dos produtos e outro para a retirada, sendo, então, um na parte da frente e outro na parte de trás.

Ainda é preciso considerar os corredores laterais para a circulação das empilhadeiras. Caso queira investir um pouco mais em velocidade, pode-se avaliar a instalação de trilhos nesses corredores.

Estrutura dinâmica

Quando falamos de estrutura dinâmica, sua principal característica consiste na rotação automática de estoques, o que permite o uso do sistema FIFO conforme sua configuração. Assim, o palete é colocado em uma das extremidades do túnel e desliza até a outra por uma pista de roletes com redutores de velocidade, a fim de mantê-la estabilizada.

Essa estrutura proporciona uma grande concentração de carga, visto que são necessários apenas dois corredores. Um deles fica responsável pelo abastecimento e o outro para a retirada do palete.

Ela é bastante utilizada para a estocagem de produtos alimentícios com controle de validade e cargas paletizadas.

Esse tipo de sistema coloca o palete, por meio de uma empilhadeira, em um trilho inclinado com roletes. Ele desliza até a outra extremidade em que há um “pare” para a sua contenção. Entre os tipos de estrutura, a dinâmica é uma das que apresentam alto custo, mas é muito usada no setor de alimentos.

Estrutura cantilever

Para empresas que precisam trabalhar com o armazenamento de itens mais compridos, como tábuas, canos e tubos, esse modelo é uma boa opção.

Basicamente ela consiste no armazenamento de peças apoiadas em grandes eixos (braços) em vez de prateleiras. Assim, fica facilitada a estocagem de peças de forma direta e o abastecimento é feito sempre pela lateral.

A própria natureza e proporção das peças pode exigir algum espaço significativo para a mobilidade, mas a possibilidade de armazenamento de uma maneira compacta também deve ser levada em consideração.

Sistemas de armazenagem carrossel

Tratam-se de sistemas criados a partir de estantes, formando prateleiras que deslizam no sentido horizontal até os setores de trabalho. São utilizadas em organizações de diversos segmentos e permitem o armazenamento de uma série de materiais.

Sua principal vantagem é que podem ser facilmente instalados, além de contribuírem com a redução de custos por meio da substituição de equipamentos e máquinas utilizados para transportar esses materiais.

Armazenagem de peças

Consiste em um processo que exige cuidados especiais, desde as mercadorias de grande porte até as peças pequenas, que devem ser colocadas de maneiras diferentes no almoxarifado, sempre considerando as necessidades individuais de produção ou comercialização.

A armazenagem de peças utiliza diferentes sistemas de prateleiras, pois precisam ser adequados à utilização específica para cada modelo de peça, de modo que se obtenha mais dinamismo para a seleção das mercadorias.

Nesse processo podemos encontrar os seguintes sistemas:

  • miniload — oferece mais desempenho para o armazém;
  • estrutura dinâmica — apresenta um espaço otimizado com taxa máxima de preenchimento;
  • prateleiras de variados modelos — possibilitam o acesso melhorado aos itens.

Qual é o papel das estruturas de armazenagem para a curva ABC?

Antes de finalizarmos, é importante que você entenda a relevância das estruturas de armazenagem para a curva ABC, pois elas são determinantes em todo o processo de disposição de produtos e, por isso, fundamentais para a melhoria do controle de estoque.

A curva ABC é um termo utilizado para classificar tudo que se refere ao controle de cada item presente em um sistema de armazenagem. Nela, a prioridade é dada aos produtos com maior demanda, sendo classificados com a letra A. Já os intermediários — em ordem de importância — recebem a letra B. Por fim, recebem a letra C os itens com menor saída.

Sendo assim, podemos afirmar que a curva ABC é um sistema de organização indispensável em todo o conjunto de metodologias e recursos que compõem as estruturas de armazenagem e o controle de estoque como um todo.

Como você pôde conferir neste artigo, existem diferenças pontuais entre estocagem e armazenagem. Além disso, mostramos os diferentes tipos de estruturas de armazenagem, como funcionam e qual a importância da curva ABC para a logística.

Agora que você já entende melhor sobre estruturas de armazenagem, que tal conferir algumas dicas de como aumentar a produtividade nesse mesmo processo?

 
Posts relacionados

Deixe uma resposta

Share This

Receba nossos conteúdos em primeira mão