Em tempos de crise financeira e altas taxas de juros, temos como uma boa estratégia a operação de sale leaseback. Esse conceito tem despertado interesse de proprietários de imóveis e investidores, podendo oferecer grandes vantagens para ambos. 

Confira o que é essa operação, como funciona e qual o motivo de ser uma boa opção para seu negócio.

O que é sale leaseback?

Sale leaseback é uma transação na qual uma empresa vende sua propriedade para outra empresa e, em seguida, arrenda essa propriedade, normalmente por um prazo mínimo de 10 anos. A empresa que vende o ativo torna-se o locatário e a empresa que compra o ativo torna-se o locador. Nesse tipo de transação, o locador é tipicamente uma companhia de seguros, uma empresa de finanças, uma companhia de locação ou um investidor institucional.

A venda de imóveis é feita com o acordo de que o vendedor irá imediatamente alugar o imóvel do comprador. Os detalhes do contrato de arrendamento são planejados para um período de tempo específico e uma taxa de pagamento fixa. Dependendo do tipo de acordo de arrendamento, seja um arrendamento operacional ou uma locação financeira, o locatário pode ou não registrar a propriedade arrendada em seu balanço patrimonial.

Por que realizar a operação?

Por que uma empresa venderia um bem e depois o alugaria? Um dos motivos é que a empresa pode querer liberar dinheiro amarrado na propriedade. Além disso, a empresa pode providenciar uma locação financeira, caso em que pode manter ativos e passivos fora de seu balanço patrimonial.

Finalmente, uma vez que o acordo de sale leaseback é um tipo de empréstimo, a empresa pode querer entrar nesse tipo de negócio se os pagamentos de locação forem inferiores aos pagamentos de juros que teria que pagar se tivesse emprestado dinheiro para financiar a compra do bem.

Vantagens associadas

A primeira vantagem é financeira. Com o dinheiro da venda em caixa, a empresa pode realizar investimentos e buscar a expansão de seus negócios. 

Outro ponto é que ao vender o imóvel tendo a garantia de que por um determinado período poderá permanecer no mesmo local, a empresa terá mais tempo para focar em seu principal objetivo do negócio, não havendo mais a necessidade de realizar a gestão patrimonial do escritório. 

Uma última vantagem é de natureza tributária. Com a redução do ativo imobilizado de seu balanço, a companhia passa a assumir apenas a despesa operacional, conseguindo gerar ganhos fiscais.

Exemplo de sale leaseback

Por exemplo, imagine que a companhia fictícia X possui um ativo, mas está tendo dificuldade em liberar dinheiro para passivos circulantes e pagamentos de dívidas de curto prazo. A empresa tem crédito fraco e um empréstimo bancário seria muito caro.

Como saída a companhia poderia escolher vender um de seus ativos de longo prazo para uma companhia de seguros e providenciar imediatamente para locar o mesmo por um período específico de tempo. Se o seguro concordar em alugar o imóvel por uma taxa inferior à taxa de juros que o banco queria cobrar por um empréstimo, então o sale leaseback se apresenta como a melhor alternativa.

Assim, a empresa X é aliviada de sua escassez de caixa, usa o dinheiro da venda para pagar dívidas e continua a se beneficiar com a utilização do imóvel.

Agora que você sabe o que é e como funciona o sale leaseback, acha que poderia ser uma boa alternativa para seu negócio? Comente no post!