Manter uma empresa em funcionamento no Brasil não é tarefa fácil. O empresário precisa arcar, diariamente, com inúmeros custos para que o negócio siga funcionando. Existem os custos diretos que, geralmente, são explícitos. Mas também há os custos indiretos, que podem causar problemas se não forem considerados no balanço final.

Diferenciar esses custos faz parte dos princípios da contabilidade e é fundamental para a saúde financeira da sua empresa. Tudo o que se gasta para produzir deve ser incluído no preço final do produto. Caso contrário, você corre o risco de trabalhar com valores irreais, dificultando o avanço da sua organização no mercado.

Em um momento de crise financeira, no qual todos os empresários vêm buscando formas de maximizar seus lucros, você não pode se dar ao luxo de perder dinheiro por puro desconhecimento a respeito das suas finanças.

Vamos, portanto, entender melhor os conceitos de custos diretos e indiretos:

Custos diretos

Os custos diretos são aqueles que estão diretamente ligados à produção da sua empresa, seja na fabricação de produtos, seja na prestação de serviço. Em geral, são custos explícitos, fáceis de mensurar e que estão incluídos no preço do produto ou serviço.

Esses valores são referentes a materiais como embalagens, matéria prima, componentes, mão de obra direta e tudo aquilo que é aplicado para que o produto final chegue às mãos do cliente.

Justamente por isso, os custos diretos não costumam apresentar problemas na contabilidade final, já que o empresário precisa conhecer todos os valores envolvidos na sua produção. Caso contrário, ele poderá enfrentar sérios problemas.

Custos indiretos

Os custos indiretos costumam ser os grandes vilões da contabilidade empresarial. Isso acontece devido ao fato de estarem relacionados indiretamente à produção ou prestação do serviço. Como não cultivam relação direta, muitas vezes são esquecidos e desconsiderados na hora de definir o preço final, o que afeta muito o resultado financeiro da empresa.

Veja, abaixo, três exemplos distintos de custos indiretos:

  • Mão de obra indireta: está relacionada ao trabalho em departamentos auxiliares, que não colocam “a mão na massa” para fabricar o produto ou prestar o serviço. Áreas como Recursos Humanos, Controle de Qualidade, Contabilidade, entre outras;

  • Materiais indiretos: são aqueles empregados nas atividades auxiliares de produção. Se você tem uma indústria, por exemplo, pode considerar como materiais indiretos as graxas e lubrificantes das máquinas;

  • Outros custos indiretos: dizem respeito à existência do negócio. Nessa conta entram valores gastos com manutenção do imóvel, seguros, movimentação interna de carga ou matéria-prima etc. Também podem ser consideradas perdas financeiras, como a depreciação de equipamentos.

Algumas situações podem contribuir para o aumento dos custos indiretos, afetando o resultado final da empresa. Por exemplo, a estrutura e o layout de um imóvel como um galpão, pode tornar sua logística mais complicada, atrasando a movimentação de cargas e matérias-primas, gerando perda de eficiência na produção e distribuição e o consequente aumento de custos. 

Custos diretos x Custos indiretos

Para compor o cálculo dos custos diretos e indiretos da sua produção ou prestação de serviços, você pode considerar alguns dos indicadores abaixo:

  • Unidades produzidas ou número de serviços prestados;

  • Horas-máquina utilizadas;

  • Horas de mão de obra utilizadas;

  • Valor material empregado.

Ainda assim, com toda a tecnologia disponível hoje em dia, o interessante que você busque o auxílio de um software de gestão financeira. Ele será capaz de agilizar o seu trabalho e minimizar erros na sua contabilidade.

Viu só como avaliar custos diretos e custos indiretos é fundamental para a saúde do seu negócio? Se quiser saber mais informações sobre esse e outros assuntos relacionados, assine a nossa newsletter agora mesmo!