Conheça 3 tecnologias sustentáveis voltadas para imóveis industriais

7 minutos para ler

O tema da sustentabilidade está diretamente conectado à indústria, por ser este o setor que mais consome recursos naturais e gera resíduos. Justamente por isso, novas tecnologias têm sido desenvolvidas com a finalidade de diminuir os seus impactos no ambiente e melhorar a sua produtividade.

Pensando nisso, neste artigo vamos falar de 3 tecnologias sustentáveis voltadas para imóveis industriais que podem ser adotadas imediatamente pelo seu negócio. Acompanhe e confira quais são elas!

A necessidade de uma gestão eficiente de tecnologias sustentáveis

Antes de tudo, é preciso entender que não basta optar por essa ou aquela tecnologia e usá-la na indústria. Há muitas tecnologias consideradas sustentáveis, mas ainda é preciso saber o que fazer com elas em benefício próprio e da natureza. De que adiantaria, por exemplo, instalar um sistema fotovoltaico e continuar priorizando a energia elétrica?

É preciso, acima de tudo, considerar que a tecnologia sustentável deve ser funcional, e que o gestor precisa definir uma política de uso eficiente. Só assim todos poderão perceber o quanto essa tecnologia pode ajudar na expansão do negócio sem causar danos à natureza.

3 tecnologias sustentáveis

Basicamente, sustentabilidade é o consumo consciente de recursos naturais, de forma que eles não sejam esgotados e que futuras gerações também possam utilizá-los. Assim, as tecnologias sustentáveis são todos os tipos de ferramentas capazes de promover a sustentabilidade.

Elas podem ser eletrônicas, mecânicas e até manuais. O importante é que devem minimizar o consumo de recursos não renováveis e resíduos produzidos. Entre essas tecnologias, podemos citar:

  • energia solar fotovoltaica;
  • uso de materiais reciclados;
  • captação e reutilização da água.

Vejamos, então, como cada uma dessas tecnologias funciona para imóveis industriais.

1. Energia solar

O uso da energia solar por meio de células fotovoltaicas torna a indústria menos dependente da concessionária, reduzindo o custo com energia elétrica.

Trata-se de uma energia limpa e abundante, que não provoca impactos ambientais e não emite gases poluentes. Além disso, uma usina solar fotovoltaica pode ser instalada em espaços subutilizados como, telhados de imóveis industriais, por exemplo.

Segundo a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), se metade da área dos telhados de galpões e armazéns ocupados no Brasil fosse utilizada para a geração de energia elétrica fotovoltaica, a potência instalada seria suficiente para suprir a demanda energética de, aproximadamente, 500 mil residências ou dois milhões de brasileiros.

O sol também pode ser utilizado para o aquecimento de água e até em fornos, além de também ser uma excelente fonte de iluminação natural. Por isso, invista em construções projetadas para o aproveitamento dessa luminosidade!

2. Materiais reciclados

O uso de materiais reciclados promove dupla economia: são mais baratos e geram incentivos tributários às indústrias que os utilizarem.

Projeto de Lei do Senado nº 385, de 2012, confere crédito presumido de IPI nas operações com produtos que usem materiais reciclados e reduz a zero as alíquotas do PIS/COFINS sobre a receita de venda desses materiais. Bons exemplos são os tijolos PET e blocos Isopet.

Como o próprio nome indica, esses tijolos são compostos de garrafas PET, que diminuem a quantidade de cimento necessário. Já os blocos Isopet são fabricados com areia, cimento e isopor reciclado, além de garrafas PET. Eles permitem a construção de paredes sem a necessidade de argamassa.

O vidro moído pode ser utilizado para substituir parte do cimento Portland, diminuindo o custo de produção do concreto. Peças fabricadas por impressoras 3D também podem ser preenchidas com material reciclado, reduzindo os custos e aumentando em até 70% a rapidez da obra.

3. Captação e reutilização da água

Sistemas de captação da água da chuva podem ser implantados a baixo custo. Essa água pode ser utilizada em sanitários, para lavagem de materiais e áreas livres ou para regar jardins. Dependendo dos requisitos de qualidade, ainda pode ser usada para o resfriamento de peças.

Já a água de reúso passa por um processo de filtragem e tratamento. Chamada também de água cinza, não é potável, ela ainda serve para as mesmas utilizações da água da chuva.

Vale ressaltar, ainda, que não só as tecnologias que ajudam na sustentabilidade. Como vimos no início do artigo, uma boa gestão e organização reduzem o tempo de produção e ajudam a evitar desperdícios. Portanto, ter um bom planejamento é fundamental.

A Indústria Verde

O conceito da Indústria Verde representa a produção e a gestão sustentável, dando prioridade às causas que envolvem o meio ambiente. Ela aplica práticas que, além de reduzir os impactos negativos sobre o meio ambiente, conseguem chamar a atenção de consumidores, fornecedores e investidores, ampliando suas chances de crescimento e de projeção social.

Para ser “verde”, a empresa deve seguir um sistema de gestão ambiental. Essa gestão engloba diversos aspectos sustentáveis — desde a origem, os métodos de extração e os procedimentos de produção da matéria-prima até o controle do destino dos resíduos da indústria, envolvendo logística, manuseio dos produtos e outras coisas.

Surgem, nesse sentido, conceitos como “TI Verde”, “carros verdes” (movidos a combustíveis especiais) etc.

A empresa “verde” tem a obrigação de se preocupar com o meio ambiente, aplicando soluções sustentáveis tanto dentro quanto no exterior da fábrica. Assim, deve se interessar pela qualidade de vida de sua equipe e da sociedade na qual se insere.

Principais vantagens em usar tecnologia sustentáveis

Uma companhia pode usufruir muitos benefícios ao optar pela utilização de tecnologias sustentáveis. Dentre eles:

  • oportunidade de novos negócios (produtos e serviços voltados para a redução de emissão de poluentes, aproveitamento de resíduos, sistema de geração de energia e outras coisas);
  • maior competitividade;
  • maior produtividade;
  • valor agregado à marca (aumento da credibilidade da marca);
  • resiliência, ou redução de riscos (a empresa não se expõe a possíveis infrações e penalidades definidas na legislação).

Alguns casos de sucesso

Muitas empresas brasileiras que aplicaram o conceito de Indústria Verde e tecnologias sustentáveis conseguiram sucesso, destacando-se mesmo em um cenário concorrido e economicamente incerto.

Uma das primeiras indústrias do país que receberam a certificação de Indústria Verde foi a movelaria Florense, em 2001. A fábrica foi submetida a muitas auditorias, as quais efetivamente confirmaram o sincero engajamento da indústria com a preservação do meio ambiente.

Móveis Rimo é outra movelaria que conquistou o certificado. Sua principal característica é a conscientização da equipe sobre a importância de adotar práticas sustentáveis. Ela conta até com uma equipe de responsabilidade social que promove ações socioambientais na empresa e na comunidade.

Já a Unilever (multinacional britânica) se destaca quando o assunto é TI Verde. Há mais de 10 anos, ela aplica tecnologias sustentáveis, conseguindo diminuir em até 60% a quantidade de máquinas de impressão.

A Unilever também atua no Brasil, trabalhando com alimentos, bebidas, materiais de limpeza e produtos de higiene pessoal. Mas há ainda o caso do Banco Real, um dos pioneiros na utilização de TI Verde. Substituindo computadores, ele diminuiu a conta de energia em 62% (economia de US$ 335 mil em 4 anos).

A Ypê é uma empresa sustentável totalmente nacional, que fabrica produtos de limpeza. Sua matéria-prima mais importante é a água, logo, desde que construiu seu galpão em 1950, a empresa capta água da chuva para usar em seu ciclo de produção. Atualmente, a Ypê desenvolve o Florestas Ypê, projeto responsável pelo cultivo de 600 mil mudas de árvores representantes da Mata Atlântica.

Enfim, gostou do texto sobre tecnologias sustentáveis? Então aproveite e descubra ctambém omo escolher o melhor espaço para a sua empresa!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Share This