No ano de 2017, o setor imobiliário brasileiro passou por grandes dificuldades. Com a crise econômica e a instabilidade no cenário nacional, o preço médio dos imóveis caiu, bem como o volume de financiamentos. A boa notícia é que o mercado imobiliário para 2018 se mostra muito mais promissor e com excelentes tendências.

Em 2017, por exemplo, a inflação ficou em 2,95% e, pela primeira vez, manteve-se abaixo do piso da meta. Para 2018, ela deve ficar em torno de 3,95%. O que também caiu ao menor índice histórico, foi a Taxa Selic, que atingiu os 7%. Graças a isso, o crédito se tornará mais barato em 2018. 

Já o PIB cresceu cerca de 1% e há a expectativa de aumento de quase 2% no final de 2018. Juntos, esses efeitos levarão a uma possível diminuição da taxa de desemprego e melhores resultados de indústria e comércio. Como consequência, pode haver um impacto positivo no setor de imóveis.

Para entender o que virá, conheça 6 tendências do mercado imobiliário 2018 e saiba como tudo funcionará!

1. Aumento da oferta de imóveis

No ano de 2017, o mercado de imóveis teve que lidar com a desconfiança por parte das pessoas físicas e jurídicas. A falta de segurança e as condições pouco atrativas contribuíram para que os compradores se tornassem especialmente cautelosos.

Isso levou a uma diminuição no lançamento de empreendimentos, já que muitos foram suspensos para evitar os impactos da crise. Em 2018, a economia começará a se recuperar com intensidade.

Graças às novas perspectivas de condições, há a tendência de haver maior segurança sobre as compras. Diante de um cenário favorável, construtoras e incorporadoras atualizam sua atuação e, provavelmente, realizarão novos lançamentos.

Para quem compra ou aluga, é algo positivo, pois o aumento da oferta favorece o encontro da melhor alternativa.

2. Novas oportunidades de financiamento

A queda da Taxa Selic amplia a abertura ao crédito. Como o dinheiro fica “menos caro”, os indivíduos conseguem obter crédito com maior facilidade.

É algo fundamental para o setor, porque se relaciona diretamente aos financiamentos e outras abordagens de aquisição. Com o crédito em conta, as chances de financiamento aumentam, portanto.

De acordo com especialistas, inclusive, o crédito imobiliário vai crescer 15% em 2018. Uma fonte principal será a poupança, que é beneficiada pela diminuição da taxa de juros e da inflação.

O maior benefício disso é que a aquisição ficará mais em conta, o que favorece a realização de compras econômicas e com menos burocracia.

3. Uso de novas tecnologias

A tecnologia tem invadido diversos setores da economia. O desenvolvimento de soluções caminha a passos largos e as pessoas têm incluído esses recursos no cotidiano.

O principal motivo é que, na maior parte das vezes, a tecnologia é de grande ajuda para gerar facilidade no cotidiano. Com os elementos certos, é possível obter automação de vários processos e uma experiência ainda melhor.

O setor imobiliário depende diretamente da experiência que é oferecida. Afinal, trata-se de uma decisão muito importante e os aspectos envolvidos fazem toda a diferença. Poder analisar bem o imóvel ou fazer tudo de um jeito simples são pontos que contribuem para fechar o negócio.

Pensando nisso, o mercado imobiliário 2018 promete explorar ao máximo essas possibilidades. Na hora de mostrar os benefícios dos imóveis, a realidade virtual garante uma experiência imersiva, mesmo de longe. Por causa dos óculos de VR, os pretensos compradores podem caminhar pelo ambiente e descobrir seus pontos fortes.

Para os imóveis que estão na planta, os drones se mostram especialmente relevantes. Graças a eles, é possível acompanhar o andamento das obras com grande qualidade de imagem. Para os que já estão construídos, são ótimos recursos para explorar toda a área com simplificação.

Além disso, há a automação em imóveis. Neste ano, a tendência é contar com unidades inteligentes e que podem ser controladas com facilidade. A tecnologia é um elemento que traz praticidade, segurança e uma experiência que conta a favor da conversão.

4. Realização de vendas consultivas

A realização de vendas consultivas é outra tendência do mercado imobiliário 2018. Mais que nunca, uma consultoria ou assessoria precisa oferecer sonhos, trazer soluções e apresentar alternativas que tenham a ver com o interesse individual de cada comprador.

Há a necessidade de uma abordagem diferenciada e que, acima de tudo, considere quais são as necessidades, expectativas e exigências de quem quer comprar ou alugar um imóvel.

Isso é altamente importante, sobretudo, na área de aluguel e venda de galpões. Uma consultoria de alta qualidade prima por entender como o negócio de uma determinada empresa funciona para sugerir as melhores orientações e opções de imóveis. Tudo isso contribui para o aumento da segurança e, principalmente, da satisfação nos processos — além de reduzir os custos e valorizar o tempo do cliente.

5. Redução da burocracia

A tecnologia pode ser incrível para trazer mais conforto para as pessoas, melhorar a experiência de quem a utiliza e para mudar a forma como os processos imobiliários são realizados. Por se tratar de algo bastante importante, é comum que algumas etapas dentro de um processo imobiliário sejam complicadas ou burocráticas.

Contudo, as mudanças tecnológicas têm tentado transformar isso para melhor. Da mesma maneira que já é possível ver um imóvel a distância graças à realidade virtual, surge a assinatura digital. Com validade jurídica reconhecida, ela é uma forma de assinar documentos — como escrituras e ordem de compra e venda — de maneira totalmente online.

Feita corretamente, trata-se de uma possibilidade que promete descomplicar as etapas do mercado e tornar tudo cada vez mais prático de ser realizado. Inclusive, é algo que contribui para trazer flexibilidade tanto para quem compra quanto para quem vende.

6. Oportunidades de investimentos

A recuperação do setor imobiliário é muito oportuna e atraente para os que desejam investir. Os motivos são vários: a princípio, os preços em 2018 não estarão tão elevados. Como esse é apenas o primeiro ano do retorno, é natural que o aquecimento da área aconteça de maneira gradual.

Por outro lado, surgirão cada vez mais oportunidades. Bons imóveis aliados a um mercado que retoma a sua confiança formam a receita perfeita para o sucesso. Quem aproveitar essa onda logo no começo, portanto, tem maiores chances de obter um retorno de investimento elevado.

Mesmo aqueles que não procuram investir para rentabilizar terão boas oportunidades. Empresas que buscam novos espaços para melhorar a sua logística, por exemplo, encontrarão condições muito atrativas logo no começo da recuperação. Com isso, poderão obter efeitos ainda melhores em sua atuação e se diferenciar de seus concorrentes.

O mercado imobiliário 2018 mostra sinais de recuperação e, principalmente, traz ótimas ofertas de negócios. Por isso, é importante analisar tudo de perto e se preparar para aproveitar.

Para não ficar de fora de nenhuma atualização, nos acompanhe no Facebook, Twitter, Google+, LinkedIn e Youtube e não perca nada!