Com o aumento crescente da competitividade, as empresas precisaram buscar alternativas para maximizar sua produtividade sem sacrificar a saúde financeira ― como acontece quando a organização precisa realizar grandes investimentos e não pode comprometer o fluxo de caixa.

Em termos de área logística, uma das práticas que vem sendo adotada para atingir esse objetivo é a utilização de condomínios compartilhados para galpões.

O projeto, que segue o mesmo conceito de condomínios para moradia (nos quais as pessoas têm o seu espaço, mas compartilham custos e existem áreas comuns) já é uma realidade nos Estados Unidos e na Europa.

Será que esse é um bom mercado também para as empresas brasileiras? O que é exatamente um condomínio compartilhado? Quais as suas vantagens? Continue a leitura para saber as respostas!

Condomínios compartilhados para galpões no Brasil

Ainda que não seja uma modalidade completamente nova aqui no Brasil (na década de 1990 já existiam alguns na região Sudeste), os condomínios compartilhados ganharam força mesmo a partir de 2005, com a expansão do mercado interno e a necessidade de espaços extras bem estruturados para aumentar a produtividade das empresas.

Conhecidos também como “parques logísticos”, os condomínios são enormes locais que, na maioria das vezes, ficam localizados estrategicamente em saídas para rodovias, portos e acessos para o escoamento logístico, e possuem galpões individuais. A estrutura desses parques ainda consegue comportar um tráfego diário de caminhões e veículos de cargas.

Seu propósito é todo voltado para a área logística, e sua grande infraestrutura não deixa dúvidas quanto ao objetivo do empreendimento.

Benefícios dos condomínios compartilhados para galpões

Os condomínios apresentam inúmeras vantagens para as empresas. Conheça agora algumas delas:

Baixo custo com manutenção

Os condomínios possuem manutenção própria. Serviços como limpeza, portaria, segurança e manutenção são feitos pela administração do local. Assim, a empresa que aluga um galpão não precisa se preocupar em contratar colaboradores.

É claro que parte dos custos de manutenção é repassada para os inquilinos, mas como os valores são rateados, os gastos por empresa são muito menores. Por isso, uma das maiores vantagens é dividir as despesas de alguns serviços com outros empreendimentos que estão no local.

Dessa forma, é possível ter acesso a diversas tecnologias de ponta pagando bem menos do que se fosse contratar individualmente.

Facilidade de administração

Os condomínios compartilhados oferecem toda uma estrutura para receber qualquer tipo de empreendimento logístico. Uma das grandes vantagens é que a empresa que aluga um dos galpões tem facilidades em termos administrativos.

A parte de manutenção fica por conta do proprietário do condomínio. Além disso, ainda que sejam espaços gigantescos, cada empresário só precisa se concentrar no seu galpão.

Processos como segurança, controle de tráfego, limpeza e todos os correlacionados são realizados pela administração do local. Ou seja, o gestor logístico consegue focar apenas no trabalho propriamente dito, o que facilita muito a sua rotina em termos administrativos.

Expansão do empreendimento

Quando contrata os serviços de um condomínio compartilhado, a empresa pode expandir os seus processos e descentralizar operações como estoque, armazenamento e distribuição de mercadorias. Com isso, a possibilidade de abrir novas fronteiras é muito maior, conquistando novos clientes, ganhando territórios e maximizando cada vez mais os lucros.

Por fim, os condomínios possibilitam uma facilidade maior de expansão interna. Se uma empresa possui um galpão próprio, mas que fica em um grande centro, terá muita dificuldade se quiser aumentar o seu espaço físico. Além de toda a burocracia, terá que arcar com grandes valores.

Dentro de um condomínio compartilhado, a operação de expansão fica muito mais simples. Basta que a empresa alugue um ou dois galpões adicionais sem se preocupar com construções ou burocracias que envolvam grandes reformas.

Estruturas privilegiadas

A sensação de encontrar um local que supra todas as suas necessidades é de satisfação. É o que acontece com os grandes parques logísticos: com espaços criados para facilitar e dinamizar a rotina logística da empresa, esses condomínios são construídos com estruturas privilegiadas.

Internamente, os galpões são adaptados e possibilitam uma divisão modular. Sendo assim, são estruturados para suprir quaisquer necessidades, independentemente se a intenção do estabelecimento é montar um estoque gigantesco ou dividi-lo de forma ordenada.

Localização estratégica

Por serem voltados para o setor logístico, os condomínios compartilhados, em sua maioria, ficam localizados em pontos que facilitam a movimentação de caminhões e veículos de carga ― uma ação pensada para que as empresas possam dinamizar suas operações.

Assim, eles geralmente ficam nas saídas de cidades ou próximos a portos e outros pontos que são utilizados frequentemente para recebimento ou entrega de mercadoria. Dessa forma, além de facilitar em termos de tráfego, evitando os engarrafamentos e burocracia dos grandes centros, os condomínios passam a ser parte das estratégias empresariais.

Menor risco de investimento

Construir uma área de armazenagem do zero requer um altíssimo investimento, principalmente se a intenção for comprar o terreno. Dependendo do porte e da localização, o projeto pode requerer milhões ― dinheiro esse que pode ser um fator decisivo para o crescimento da empresa.

Outra parte levada em conta é a burocracia. É preciso ter o máximo cuidado, pois diversos fatores podem inviabilizar ou onerar consideravelmente a construção, além de aumentar o tempo da obra.

Mesmo quando tudo parece caminhar corretamente, a empresa corre o risco de ter sua reforma paralisada ou embargada pela Justiça por reclamações de terceiros. Ou seja, o risco num investimento assim costuma ser muito alto.

Dessa forma, o aluguel de um galpão dentro de um parque logístico se torna uma alternativa mais segura. A empresa não precisa arcar com reformas ou construções, contará com uma estrutura privilegiada para suprir suas necessidades e ainda terá caixa para investir no crescimento.

Não é à toa que muitas empresas têm migrado as suas operações para os condomínios compartilhados. Essa estratégia torna a organização muito mais competitiva, possibilitando o acesso à estrutura de ponta, diversos serviços compartilhados, baixo custo e não compromete o capital de giro da organização.

Achou este conteúdo interessante? Quer saber mais sobre condomínios compartilhados? Siga-nos nas redes sociais e fique sempre por dentro! Estamos no FacebookTwitterGoogle PlusLinkedIn e YouTube!