De modo geral, toda empresa procura se expandir, ir um pouco além. É um desejo natural de todo empreendedor, principalmente daqueles cujo objetivo é permanecer no mercado, ter mais sucesso em médio e em longo prazo

À medida que o negócio cresce e capta novos clientes, a tendência é que os lucros aumentem e a prosperidade econômica do gestor cresça também. Mas não existem certezas, existem possibilidades e é necessário fazer um planejamento de expansão empresarial. Essa expansão pode colocar a empresa em contato com outras empresas e empreendedores, com comércio nacional e internacional, com perfis novos de clientes — enfim, é possível ampliar seu networking.

Não é preciso se tornar uma Apple ou Google, mas é possível ir alguns passos além e conquistar mais espaço no mercado. Se ainda tem dúvidas e se questiona “como expandir meu negócio”, leia o post e saiba mais sobre o assunto!

A expansão empresarial: entendendo melhor o conceito

No momento em que uma empresa alcança seu ápice de desenvolvimento, que é explicitado no planejamento estratégico, e parte em busca de novas formas de geração de lucros, o gestor começa a cogitar na possibilidade de expansão empresarial.

A expansão empresarial costuma envolver a oferta de novos serviços e produtos, a abertura de filiais ou transferência da sede da empresa, a oferta de franquias, a inserção em novos mercados, assim como a fusão ou aquisição de novos negócios. O pensamento, nesses casos, é alcançar mercados diferentes, um novo público-alvo e tecnologias mais sofisticadas.

Os elementos de um plano de expansão empresarial

Basicamente, um plano de expansão empresarial inclui:

  • a sobrevivência no mercado;
  • o aumento dos lucros;
  • a ampliação do market share;
  • o alcance de mais prestígio.

Confira a seguir as melhores práticas de expansão empresarial, considerando a realidade de seu próprio negócio. As práticas devem ser ajustadas às suas necessidades, mesmo considerando que existem práticas genéricas.

A estratégia de expansão orgânica

Uma estratégia que vai satisfazer seus questionamentos sobre “como expandir meu negócio” é a orgânica. Ela pode se desenvolver por diversos caminhos, como: aumento da penetração no mercado; expansão do mercado de atuação através da inovação na oferta de serviços e produtos; desenvolvimento de outros canais de distribuição.

A estratégia de expansão por fusão e aquisição

A estratégia por fusão ou aquisição caracteriza-se pela incorporação de outra empresa por meio de uma dessas duas formas. Na primeira, a fusão, as duas ou mais empresas tornam-se somente uma. Na segunda, a aquisição, a empresa comprada passa a ser propriedade da empresa compradora, podendo manter ou não sua marca.

De qualquer forma, essa estratégia pode tornar o tamanho do negócio muitas vezes maior em um tempo relativamente curto. Mas para que a fusão ou aquisição funcione é necessário analisar diferentes fatores, não podendo ser uma decisão precipitada.

Um dos primeiros pontos a observar é se existe sinergia entre as empresas, se há pontos em comum entre suas culturas organizacionais e se os valores são compatíveis entre si.

Tanto para a expansão orgânica como para a expansão por fusão ou aquisição, é importante considerar elementos como demonstrativo de resultado de exercício e demonstrativo de fluxo de caixa. Por esse motivo, recomenda-se contar com o apoio de um profissional especializado em controladoria.

Como expandir meu negócio com a ajuda de boas parcerias

Boas parcerias podem ser fundamentais para o desenvolvimento saudável de uma organização. Sem parceiros, nenhuma empresa cresce, pois sozinha ela nada pode fazer.

Os parceiros envolvem, por exemplo, os fornecedores. Sem o fornecimento regular de insumos, a empresa não vai longe. Esses insumos podem envolver matéria-prima para a fabricação de produtos (é o caso das indústrias), produtos semiacabados e/ou produtos acabados, já prontos, destinados à revenda. Os fornecedores também devem oferecer prazos e condições de pagamento satisfatórios.

O fornecimento não deve se limitar aos insumos, mas aos equipamentos e instalações (como galpões e armazéns). Nesses casos, os cuidados devem ser ainda maiores, pois os bens móveis e imóveis que envolvem gastos mais altos e podem afetar diretamente a produtividade do negócio.

Outro exemplo de parcerias é com funcionários e clientes. É importante dividir as conquistas com os colaboradores e mostrar que o crescimento da empresa é o crescimento profissional deles também, pois uma empresa maior pode oferecer melhores oportunidades e maiores salários. Não faz sentido falar em uma organização que cresce enquanto os funcionários não saem do lugar. Oferecer planos de carreira, ou até a oportunidade de adquirir ações da empresa, é motivador para os colaboradores.

Os clientes também podem ser grandes parceiros de seu negócio na medida em que fazem compras, se fidelizam e se tornam divulgadores da marca, recomendando-a a outros consumidores.

Enfim, outras empresas do mesmo segmento ou de outras áreas também podem ser parceiras e trabalhar juntas. Nem sempre concorrer é a melhor saída. A concorrência sempre existirá no mercado, mas não é preciso transformá-la em um combate inflexível. Justamente porque o comércio está muito difícil, é preciso unir forças com outras empresas no intuito de obter, com menos empecilhos, a expansão do negócio.

Os investidores também podem ser excelentes parceiros, mas é preciso provar a eles que vale a pena investir no negócio. Se o investidor percebe que a empresa oferece boas perspectivas de crescimento, ele tende a confiar mais e a arriscar seu dinheiro.

A análise como forma segura para desenvolver um plano de expansão

Uma análise detalhada é importante para que o plano de expansão empresarial funcione. É fundamental analisar a viabilidade dessa expansão. A viabilidade envolve, entre outros fatores, as condições financeiras da empresa e até que ponto a alavancagem pode efetivamente tornar possível essa expansão com segurança.

Alavancagem é uma estratégia em que o gestor aplica dinheiro que ainda não é efetivamente seu para obter crescimento. Mas é uma estratégia arriscada, que nem sempre pode dar certo, já que pode envolver, por exemplo, empréstimos ou financiamentos bancários com juros muito altos.

A expansão deve ser feita por etapas, conforme os limites da empresa e o seu potencial de escalabilidade. Um erro de muitos gestores é desejar um crescimento muito rápido, procurando igualar-se com outras empresas de grandes dimensões, que já estão há mais tempo no mercado ou dispõem de uma quantidade de capital de giro muito maior.

Antes de tomar sua decisão, considere pontos como:

  • será que a expansão é, de fato, a melhor decisão a ser tomada agora?
  • que custos essa expansão trará para o negócio?
  • Quais as fontes de financiamento que estão disponíveis e que são as melhores?

Neste post, procuramos tirar suas dúvidas sobre uma pergunta muito comum entre os empreendedores: como expandir meu negócio? É importante que o negócio se desenvolva com segurança, ampliando seus horizontes sem ter que ficar subjugado a dívidas pesadas.

Agora, aproveite e compartilhe este post nas suas redes sociais, pois muitos outros empreendedores também estão buscando expandir seu negócio como você.