fbpx

Como devo cuidar do meu galpão em caso de infiltração e vazamento?

6 minutos para ler

Durante o período de chuvas, uma das principais preocupações de empreendedores é com a ocorrência de casos de vazamento e infiltração em seus galpões e ambientes logísticos, o que pode gerar perdas de materiais e outros problemas capazes de comprometer seu desempenho operacional.

O mais indicado para lidar com esses desafios é a realização de uma averiguação periódica do telhado e paredes do ambiente. Assim, é possível impedir que eles aconteçam ou identificá-los em estágios iniciais, evitando grandes perdas financeiras.

Quer saber mais sobre esse assunto? Continue a leitura para entender sobre a manutenção preventiva e as melhores práticas para lidar com casos de infiltração e vazamento no seu negócio!

Manutenção preventiva

A manutenção preventiva consiste na adoção de práticas que evitam a ocorrência de problemas na estrutura do galpão, como infiltração e vazamento.

Sua realização deve ser feita em intervalos predeterminados, seguindo critérios e métodos prescritos. Assim, por meio de um calendário de manutenção, é possível coletar dados, fazer a análise e identificar possíveis problemas.

O principal benefício da manutenção preventiva é minimizar acontecimentos indesejados, que resultam em custos fora do orçamento e que, em casos mais graves, podem comprometer toda a operação.

Importância para o negócio

A realização da manutenção preventiva é importante para manter a operação dentro do orçamento previsto, evitando perdas de materiais, obras e outros problemas que resultam em custos desnecessários.

Casos mais graves de infiltração e vazamento podem comprometer a saúde ou segurança dos profissionais, resultando em afastamentos ou, até mesmo, processos judiciais. Este cenário é ainda mais preocupante para a saúde financeira da empresa.

Além disso, a companhia podem ter problemas com a vigilância sanitária, uma vez que casos de infiltração e vazamento podem ocasionar mofo nas paredes e ambientes do galpão, comprometendo a segurança dos produtos.

5 práticas para evitar vazamento e infiltração

Agora que você já sabe a importância de realizar a manutenção preventiva para evitar vazamento e infiltração no galpão, é necessário conhecer as melhores práticas para isso. Abaixo, descrevemos melhor as 6 principais. Confira!

1. Impermeabilizar os ambientes

A prática mais indicada para evitar infiltração e vazamento no galpão é a aplicação de impermeabilizante nos ambientes do estabelecimento. Entre eles, estão:

  • paredes internas;
  • paredes externas;
  • lajes;
  • fundação, em especial vigas baldrames.

É indicado que a prática seja feita durante o processo de construção. Nele, elementos estruturais, como as vigas, devem ser impermeabilizados, barreiras físicas precisam receber proteções, como telhas cerâmicas e perfis metálicos, e aditivos impermeabilizantes podem ser incorporados à argamassa de revestimento das paredes.

Posteriormente, é preciso manter a prática de forma periódica nos elementos externos da construção, como as paredes e telhados. Aqui, é indicado o monitoramento de locais com maiores chances de ter problemas, como locais de encontro com sistema de cobertura, pontos de grande exposição ao sol e aberturas de janelas e portas.

2. Proteger produtos e equipamentos

Outra prática importante é garantir a proteção dos equipamentos e itens dentro do galpão, evitando seu contato direto com pontos de infiltração e vazamento.

Para isso, é indicado o uso de prateleiras e itens que elevam as caixas e materiais, como paletes. Assim, em caso de problemas, os danos causados às propriedades armazenadas no local são menores.

Além disso, é possível utilizar um nova camada de proteção para evitar qualquer problema, como plásticos ao redor das caixas. Assim, mesmo em situações mais graves, os itens estão bem seguros.

3. Verificar os telhados

Parte da manutenção preventiva deve ser destinada à avaliação das condições do telhado e laje do galpão. Por terem maior contato com chuvas, eles apresentam maiores chances de sofrerem com problemas com infiltração e vazamento.

Assim, é indicado que profissionais especializados busquem por rachaduras, telhas quebradas e mal posicionadas, bem como calhas com folhagem ou outros itens que causam o entupimento da estrutura.

Dessa forma, é possível solucionar qualquer problema antes que ele se torne um grande custo para o negócio. A prática feita antes do período de chuvas facilita o trabalho do time.

4. Fazer a reposição de itens velhos e danificados

Um elemento fundamental para o calendário de manutenção preventiva é a reposição de itens velhos, danificados e fora do prazo de validade — como janelas, pinturas, claraboias e tubulações.

É indicado monitorar a qualidade de toda a estrutura, principalmente dos itens em locais de maior exposição e risco de infiltração e vazamento. Ter um calendário com as informações de validade e período indicado para manutenções facilita o processo.

5. Fazer a limpeza do ambiente

Por fim, uma prática muitas vezes esquecida, mas que facilita o processo de manutenção preventiva, é a realização da limpeza do ambiente. Assim como a verificação da qualidade da estrutura, é essencial ter um calendário para a organização e higienização do espaço.

Muitas vezes, poeira, sujeira e outros elementos encobrem problemas pequenos de rachaduras, impedindo que elas sejam identificadas em estágios iniciais. O cenário também dificulta a busca por pontos de origem.

O que fazer quando casos são identificados

Mesmo realizando a manutenção preventiva, alguns casos de infiltração e vazamento podem acontecer. Para lidar com eles, é preciso seguir alguns passos. São eles:

  • identificar a origem do problema: normalmente, vazamentos e infiltrações são causadas por canos e calhas entupidos ou quebrados, rachaduras ou falhas no telhado. É necessário encontrar o local exato;
  • determinar a melhor forma de resolver: para infiltrações na parede, é preciso raspar o reboco, secar e aplicar impermeabilizador. Para vazamentos, pode ser necessário trocar tubulações, calhas, rufos ou outros elementos da estrutura;
  • avaliar o reparo: posteriormente, é necessário monitorar o local para garantir que o problema foi solucionado.

Vale lembrar que, em casos de galpões alugados, a responsabilidade pela manutenção preventiva é do locatário (ex.: limpeza de calhas), assim reparos de problemas oriundos da (má)utilização do imóvel. Por outro lado, os problemas estruturais ou vícios do imóvel, anteriores à locação, são de responsabilidade do proprietário  de qualquer forma, vale verificar o que foi estabelecido em contrato e o que rege a Lei do Inquilinato (Lei nº 8245/91).

Nesse sentido, é importante que, ao optar pela locação, a empresa conte com uma consultoria especializada no assunto para encontrar o melhor local e criar um contrato que não deixe o negócio na mão em casos de problemas como esses.

Gostou de saber mais sobre como evitar casos de vazamento e infiltração no seu negócio? Então, nos siga nas redes sociais e receba mais conteúdos como este. Estamos no Facebook, Twitter, LinkedIn e Youtube!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Share This