fbpx

Afinal, como funciona a movimentação de materiais em uma empresa?

6 minutos para ler

A movimentação de materiais faz parte dos processos logísticos e é de grande importância para a empresa. Outro nome pelo qual é chamado é “transporte interno”. Trata-se do movimento de mercadorias dentro de uma área da organização.

Em uma indústria, é nessa área que ocorre a movimentação visando à reposição de matéria-prima do ciclo de produção e o transporte para setores e galpões diferentes. Esse deslocamento não deve se limitar a considerar somente o tempo e o espaço, mas os aspectos humanos também.

É preciso lembrar que, mesmo sendo automatizada, a operação necessita de intervenção humana. Saiba mais sobre o transporte interno ao ler o restante do texto!

A importância da movimentação de materiais

Embora possa parecer uma operação secundária por ser muito comum, ela é da máxima importância para organizar os processos dentro da empresa.

Para compreender o quanto é uma atividade valiosa na cadeia de produção, a movimentação de materiais nas fábricas dos Estados Unidos representa um gasto de cerca de 25% dos custos totais da manufatura.

É importante definir processos para que o deslocamento dos materiais seja efetivado de forma eficaz, sujeito ao mínimo possível de falhas e contribuindo para otimizar os lucros da empresa. Os erros na movimentação dos insumos costuma gerar perdas de mercadorias e matéria-prima e danos nas embalagens, além de outros transtornos.

Essa operação deve ser organizada com total segurança e a baixos custos, conforme os princípios modernos de sustentabilidade e Produção Enxuta, cuja finalidade principal é reduzir desperdícios e agregar mais valor aos processos e aos resultados.

Para que seja alcançado êxito no transporte interno, as empresas aplicam técnicas e estratégias específicas, fazendo uso principalmente da tecnologia.

As regras na movimentação de materiais

Cada empresa e indústria tem uma forma de funcionamento particular. Organizar a movimentação dos insumos precisa ser uma operação ajustada ao contexto da empresa. Porém, existem certos princípios que regulam essas manobras que servem de fundamento para que o gestor e sua equipe de funcionários definam regras que possam ser aplicadas no ciclo de produção específico de cada uma.

A seguir, apresentaremos cada princípio separadamente.

O Princípio do Planejamento

O planejamento é fundamental para toda e qualquer rotina. É necessário existir uma metodologia definida para as operações de movimentação diárias. Os funcionários precisam estar familiarizados com ela, repetindo-a de forma padrão.

Se for necessário um deslocamento fora do modelo habitual, como em grande volume, isso requer um planejamento mais específico. Todas as pessoas envolvidas devem se engajar e se integrar, mesmo os colaboradores que atuam indiretamente.

O Princípio da Padronização

Como já se mencionou acima, é importante padronizar processos, ou seja, os funcionários devem identificar e repetir padrões. Sem padronização, a tendência é que o trabalho seja realizado com mais lentidão, seja deixado para mais tarde, ou seja, feito de maneira errada ou inoportuna.

Os processos padronizados contribuem para evitar erros e manter o ciclo de produção eficiente ainda que a rotina seja modificada, como o aparecimento de imprevistos ou a ausência de algum funcionário. Isso significa que as dificuldades são enfrentadas com mais possibilidades de êxito quando existe padronização. Entretanto, deve sempre existir flexibilidade e modularidade na efetivação das tarefas.

O Princípio do Uso de Espaço

O espaço disponível no galpão ou armazém deve ser utilizado da forma mais eficiente para a movimentação de materiais. É por esse motivo que há diferentes tipos de armazenagem, paletes, layouts, prateleiras e estantes.

Deve-se priorizar, não a ocupação completa do espaço, mas a acessibilidade e a praticidade no momento de identificar e movimentar os insumos.

Esse princípio também avalia as condições de temperatura e umidade, já que alguns produtos não podem ficar em ambientes muito úmidos ou muito quentes, nem à mercê do sol e da chuva.

O Princípio Sistêmico

Tanto o transporte interno quanto a armazenagem precisam se integrar, formando um sistema operacional bem coordenado. Esse sistema inclui tarefas como recepção, armazenagem, inspeção, seleção, embalagem, expedição e transporte de mercadorias.

A sistematização equivale a unificar a cadeia de suprimentos completa: fabricantes, fornecedores, distribuidores, varejistas, consumidores finais. Alguns softwares modernos contribuem para gerenciar essa integração, permitindo ao gestor uma visão sistêmica mais apurada, que ajuda principalmente a controlar gastos.

O Princípio da Automação: como a tecnologia ajuda na movimentação de materiais

A tecnologia contribui para dinamizar tanto as estratégias de planejamento quanto as operações físicas. Com a automação, eliminam-se os erros provocados em diferentes atividades, principalmente aquelas repetitivas. A agilidade também ganha com a automação, bem como a produtividade, afinal, as máquinas e softwares ajudam a aprimorar a qualidade do trabalho e, consequentemente, dos resultados.

Para que o sistema de automação seja eficaz, ele precisa estar ajustado à realidade da empresa, considerando, entre outras coisas, a interface, a capacidade de processamento e a praticidade de uso. Entre as soluções tecnológicas, existem:

  • ERP: sistema de gerenciamento que permite a integração entre todos os setores de uma empresa, centralizando dados e informações em um único lugar;

  • WMS: sistema de gestão de armazém que facilita o controle de estoques e tarefas rotineiras como recebimento e expedição de mercadorias, endereçamento, separação de pedidos, inventários;

  • TMS: sistema de gestão de transporte, o qual ajuda a coordenar atividades diversas relacionadas à frota, como roteirização, consolidação das cargas, rastreamento e monitoramento de veículos, controle de ocorrências.

A estrutura dos galpões e o transporte interno

O layout dos galpões é determinante para uma eficiente movimentação de materiais. Eles precisam ter uma boa infraestrutura para comportar os materiais de forma organizada.

Um dos principais problemas é justamente a falta de organização, que interfere na movimentação de pessoas e de materiais, dificultando a acessibilidade e gerando transtornos na hora de localizar e despachar itens.

O galpão também precisa ser bem ventilado para garantir a conservação dos produtos e/ou matérias-primas. Nesse caso, a altura é um elemento importante, pois favorece a criação de um ambiente mais arejado e o uso de prateleiras altas que permitem mais espaço e mais acesso no sentido horizontal.

Um galpão bem construído e organizado aprimora o uso e a segurança, evitando acidentes que podem ser graves e fatais, envolvendo veículos e outros equipamentos. É importante garantir a segurança tanto de funcionários quanto dos insumos estocados.

Está precisando de um galpão sob medida para armazenagem de produtos? Contate a SÓ GALPÕES e veja como ela pode ajudar você.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Share This

Receba nossos conteúdos em primeira mão