fbpx

4 estratégias de picking para aumentar a produtividade do estoque

3 minutos para ler

O picking ou order picking é a atividade responsável por separar e preparar pedidos. Responsável pelas duas últimas etapas de um produto durante o armazenamento, essa atividade é considerada como uma das mais críticas dentro do armazém.

Sua função principal é satisfazer os desejos do cliente de forma precisa ao coletar o mix de produtos certo em quantidades certas. Na maioria dos armazéns a atividade de picking corresponde de 30% a 40% do custo de mão de obra

Existem 4 métodos de organização do trabalho de picking, sendo que é comum observar uma mistura de diferentes estratégias a fim de atender melhor às necessidades da empresa. Para definir qual delas deve ser usada, é preciso considerar três importantes fatores: os operadores por pedido, os produtos por pedido e os períodos para agendamento.

Neste artigo serão explicadas as 4 estratégias de picking e seus pontos fortes e fracos para o aumento da produtividade do estoque. Continue lendo!

1. Picking discreto

É quando cada operador se responsabiliza pela coleta de um produto por vez. Essa é uma das estratégias de picking mais utilizadas  muito devido à sua simplicidade. Perfeitamente adequada para quando a documentação está em papel, o risco de erros desse procedimento é relativamente pequeno.

Em contrapartida, o picking discreto é o menos produtivo de todos. Como cada operador é responsável por toda a ordem de separação de um pedido, é gasto muito tempo em seu deslocamento.

2. Picking por zona

Nesse procedimento, o armazém é dividido em zonas. Cada zona possui determinados produtos e cada operador se responsabilizar por uma delas. Ou seja, quando chega um pedido, os operadores coletam os produtos que fazem parte da sua zona e o levam para a área de consolidação, onde tudo será agrupado em um único pedido.

Essa é uma ótima opção para empresas que contam com diferentes equipamentos de movimentação, por ser flexível. É mais produtiva que o picking discreto, porém também possui uma dificuldade: o balanceamento da carga de trabalho entre as zonas.

3. Picking por lote

Diferente das estratégias de picking anteriores, nesse método o operador espera a acumulação de um número de pedidos para que possa coletá-los de maneira conjunta. Depois, ele identifica os produtos comuns entre os pedidos, coletando a soma de suas quantidades e, posteriormente, as distribuindo para cada pedido.

A alta produtividade é uma das suas características mais marcantes, mas só é indicado para quando os pedidos são pouco variados e os itens são pequenos em volume. O tempo de deslocamento dos operadores é drasticamente reduzido, porém os riscos de erros são maiores.

4. Picking por onda

Semelhante à primeira estratégia, no picking por onda cada operador também se responsabiliza por um produto de cada vez. Entretanto, a maior diferença está no agendamento, pois são feitas programações por turnos.

Em geral, ele é combinado com algum dos outros métodos. Sua vantagem é a melhoria na integração entre o picking e a área de expedição, uma vez que coordena as atividades de coleta e despacho.

Hoje em dia, a logística já é entendida como uma área estratégica para o sucesso das empresas. Entre suas mais diversas atividades, temos o picking. Apesar de sua complexidade, esse procedimento traz muitas recompensas quando bem executado. Aumento da produtividade do estoque, otimização do espaço e maior satisfação dos clientes são algumas delas.

Nosso artigo lhe foi útil? Para receber todas nossas atualizações de conteúdo e se manter informado sobre os principais assuntos de logística, assine a nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Share This