fbpx

4 dicas para uma logística de distribuição mais eficiente

7 minutos para ler

A logística de distribuição deve ser encarada com seriedade. A missão de disponibilizar produtos de forma otimizada — na quantidade certa, no momento pertinente e no local adequado — é desafiadora, mas produz resultados interessantes e duradouros às organizações mais competitivas.

No mercado moderno, em que os recursos são escassos e devem, portanto, ser empregados com coerência, é fundamental que os gestores se dediquem a encontrar novas formas de impulsionar seus processos e resultados.

Neste post, você entenderá um pouco mais sobre o conceito e conhecerá alguns dos principais benefícios gerados pela excelência da logística de distribuição. Além disso, também ficará por dentro dos procedimentos que conduzem à otimização operacional do setor.

Boa leitura e bons insights!

O que é logística de distribuição e quais são seus principais benefícios?

A logística, enquanto área operacional, sempre teve um papel de destaque nas empresas focadas em resultados. A eficácia dos processos de armazenagem e de escoamento, englobando toda a cadeia de gestão de produtos, é determinante para que as empresas consigam competir no mercado moderno.

A logística de distribuição é, na prática, a operacionalização do fluxo de mercadorias, de forma a proporcionar máxima rentabilidade e lucratividade ao longo do processo. Uma postura voltada a evitar gargalos e desperdícios — que, por sua vez, podem gerar prejuízos consideráveis — garante mais saúde e previsibilidade à gestão.

A preocupação com a eficiência das atividades logísticas na distribuição de mercadorias rende, por certo, ótimas vantagens ao negócio. O retorno, que aparece já no curto prazo, tem efeitos duradouros e pode alavancar a performance da companhia, promovendo, por exemplo:

  • maximização dos lucros, eliminando desvios nos procedimentos estabelecidos e otimizando os recursos investidos;
  • aumento da satisfação do cliente, que recebe seus produtos de forma eficiente, rápida e segura;
  • visão estratégica da operação, que permite a formatação de táticas alinhadas às demandas da empresa e com respaldo nas exigências do mercado.

Como funciona o processo de logística de distribuição?

A excelência na distribuição depende da interligação de uma série de fatores. Por um lado, não adianta estabelecer uma rotina ideal e negligenciar as ferramentas necessárias para viabilizá-la. Por outro, não basta prover recursos e ignorar a padronização de tarefas logísticas mais eficientes.

Por isso, não é nenhum equívoco dizer que, para funcionar com o máximo desempenho, é preciso que os gestores fixem padrões e indicadores para cada fase da operação de distribuição.

O primeiro passo é, sem dúvida, a manutenção do inventário. Para além das planilhas de controle de estoque, entretanto, é necessário selecionar fornecedores e administrar a dinâmica de transportes, roteirizando entregas e garantindo a efetividade do serviço.

Depois que a carga deixa a empresa, o trabalho não deve ser dado como concluído. Pelo contrário! Dá-se início, então, à etapa que pode definir a fidelização do cliente, que diz respeito ao tempo de escoamento e à integridade do item quando chega ao destino.

Aos gestores, também interessam as análises posteriores à finalização da entrega. Os indicadores servem para atestar a pertinência dos fluxos e identificar eventuais problemas no processo.

De que forma é possível otimizar a logística de distribuição?

Alavancar o desempenho logístico deve ser uma prioridade das lideranças. A consciência de que a otimização de processos é importante para manter a saúde do negócio e ganhar competitividade no mercado é, sem dúvida, o primeiro passo para resultados cada vez mais consistentes e positivos.

Para catapultar rotinas e retornos — no curto, médio e longo prazos —, algumas estratégias são essenciais. Confira as principais dicas de uma gestão logística mais enxuta e produtiva.

1. Organize seu estoque

Há algum tempo, o estoque era visto como uma área de capital congelado. O mercado contemporâneo, entretanto, alterou a visão a respeito do departamento: hoje, o setor é encarado como um reduto de grandes oportunidades de lucratividade.

Para que a estratégia seja coerente e, de fato, produza os resultados esperados — redução de custos, prevenção de perdas e otimização de lotes, para citar apenas algumas definições —, é fundamental que haja um controle efetivo do inventário.

Desde o recebimento de mercadorias, os gestores precisam dispor de ferramentas que automatizem processos (tais como entradas de NFs e segmentação de itens em prateleiras) e minimizem o retrabalho, extraindo o máximo potencial dos produtos e das equipes que os gerenciam.

2. Planeje o roteiro de entrega

O transporte de mercadorias representa um dos maiores custos do processo logístico. Por isso, é natural (e até mesmo imperativo) que o planejamento e a roteirização de entregas sejam transparentes e eficazes. Caso haja desvios e gargalos, os prejuízos são uma consequência incômoda, mas inevitável.

Uma das melhores alternativas para assegurar a viabilidade das entregas e o bom desempenho do serviço é apostar em inteligência logística. O desafio é identificar as melhores rotas — principalmente aquelas que associam menor distância, menor tempo de deslocamento e maior segurança no deslocamento.

Vale reforçar, ainda, que a preocupação com a formatação de roteiros coesos gera benefícios consideráveis: economizam-se recursos importantes, como combustível e tempo, enquanto trabalha-se para alavancar a satisfação do cliente, que receberá a mercadoria de forma mais ágil e rápida.

3. Rastreie suas cargas em tempo real

O acompanhamento de cargas é uma etapa importante da distribuição logística. Depois de embarcar a mercadoria, já seguro de que as melhores decisões foram tomadas no planejamento do transporte, o gestor precisa assegurar que o deslocamento seja executado de forma transparente e eficaz.

Nesse âmbito, a tecnologia desponta como uma aliada importante na alta performance da atividade logística. Por meio de softwares integrados, em dispositivos móveis, o transportador pode fornecer dados sobre o status da entrega e sinalizar quaisquer problemas que tenham sido enfrentados no trajeto.

Assim, as lideranças têm acesso a informações precisas e qualificadas, com potencial de embasar decisões futuras e de impulsionar o desenvolvimento de um planejamento ainda mais assertivo.

4. Mantenha bons parceiros comerciais

Para fazer frente a uma concorrência acirrada, o bom relacionamento com fornecedores é uma demanda inegável. Com o objetivo de competir de modo mais orgânico, enxuto e certeiro, o gestor precisa encontrar parceiros que compartilhem de suas metas e endossem seus desafios.

No caso da logística de distribuição, a excelência do serviço também depende do comprometimento dos responsáveis pelas atividades de transporte. Dessa forma, a escolha de empresas idôneas e orientadas a resultados faz toda a diferença no sucesso e na perenidade da operação. Invista!

A logística está em constante evolução e os líderes do setor precisam se envolver nas transformações. Aproveite a oportunidade e fique por dentro dos 3 benefícios da logística 4.0. Sucesso e até breve!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Share This

Receba nossos conteúdos em primeira mão